Início Educação Ambiental Estudantes de Chapecó aprendem a arte de reciclar com projeto educativo

Estudantes de Chapecó aprendem a arte de reciclar com projeto educativo

430
0
COMPARTILHAR

reciclar

Quais materiais podem ser reciclados? Qual é a maneira correta de separá-los? Como funciona uma cooperativa de material reciclado? Que benefícios a reciclagem traz à sociedade? Essas dúvidas foram esclarecidas de maneira lúdica e inovadora pelo projeto educativo Palco da Reciclagem – a arte de reciclar contando histórias, lançado na terça-feira, na Sociedade Esportiva e Recreativa Aurora (SER Aurora), em Chapecó.
O espetáculo teatral, musical e educativo é voltado a estudantes, pais e educadores, e desenvolve a conscientização ambiental. A iniciativa é do Ministério da Cultura, Cooperativa Central Aurora Alimentos, STR Produção e Marketing Cultura e Tetra Pak. As apresentações prosseguiram até o dia 17 de abril, no horário das 8 às 17 horas, e beneficiará 4.700 alunos de 27 escolas de Chapecó. Todas as escolas participantes estão agendas, mas aquelas que tiveram interesse devem entrar em contato com a Fundação Aury Luiz Bodanese pelo telefone (49) 3321-3131.
A história gira em torno de uma família que, ao tomar seu café da manhã, conversa sobre o que acontece com as embalagens e demais materiais recicláveis após o uso de seu conteúdo. Surge a oportunidade da visita a uma cooperativa de catadores de material reciclado. A família visita essa cooperativa e conhece todo o seu funcionamento. O público presente também é convidado a conhecê-la e separar os materiais. Tudo isso de uma forma lúdica, musical e totalmente interativa.
As crianças compreendem a importância de preservar o planeta, os benefícios do cooperativismo como geração de emprego e renda, o processo de reciclagem e os materiais produzidos a partir das caixas de leite. “Mostramos a partir do cotidiano a importância da reciclagem e maneiras simples de separação dos materiais que pode ser feita em casa. Acreditamos que plantamos sementes, porque as crianças são multiplicadores e se transformarão em cidadãos conscientes e engajados em proteger o planeta”, enfatizou o produtor do espetáculo Rafael Martins.
De acordo com a gerente de comunicação social da Cooperativa Central Aurora Alimentos e presidente da Fundação Aury Luiz Bodanese, Isabel Cristina Machado, “as crianças são agentes transformadores e fazem com que os adultos mudem seus hábitos”. Isabel ressaltou que este trabalho de educação ambiental complementa o já realizado pela Aurora e pela Fundação com o programa “A Turminha da Reciclagem”, que já beneficiou 170 mil estudantes.
AVALIAÇÃO
“O projeto é ótimo porque apresenta como funciona a reciclagem, proporciona a compreensão de todo processo e possibilita a abertura de alternativas para continuidade das atividades”, observou a coordenadora da Linha Almeida, Ascendinha e Goio-Ên, Aline Zanella. Na área rural do município também é incentivado a separação dos materiais e solicitado para os moradores que evitem jogar resíduos no solo. De acordo com a coordenadora, nos próximos dias será iniciado o projeto “Mais Educação” com a implantação de oficinas, compostagem e horta com os materiais da escola e integração da disciplina de sustentabilidade.
A estudante da E.B.M. Goio-Ên, Bruna Zanini de Almeida, de 10 anos, aprovou a iniciativa. “Gostei de tudo, foi muito interessante, principalmente, o momento em que foi feito o papel reciclado, porque posso fazer isso em casa também. Outra coisa que me emocionou foi a união da família na mesa no café da manhã”, comentou.
A maneira correta de separar os resíduos encantou o estudante da E.B.M. Linha Almeida Jhonatân de Mello, de oito anos. “Já fazia a separação em casa, colocando o lixo orgânico em uma lixeira e o material seco em outro, mas a maneira que foi explicada é dinâmica e divertida”, complementou.
Para a estudante da E.B.M. Ascendina Brasinha Dias Natascha Vitória Mello, de 10 anos, a reciclagem e a separação dos materiais podem contribuir com a preservação ambiental. “Isso me chamou muito atenção no espetáculo, porque já fazia em casa, mas vou conversar com os meus pais sobre o que aprendi”, afirmou. A estudante relatou que ao assistir ao espetáculo lembrou-se dos materiais que via espalhado na comunidade. “Muitos não sabiam onde colocar os materiais e o caminhão passava poucas vezes no mês para recolher. Agora aprendemos alternativas para utilizá-los, que foram apresentadas de maneira bem alegre”, explicou Natascha.
PROJETO
A STR contabiliza duas décadas de experiências em projetos culturais e ingressa no quarto ano do projeto Palco da Reciclagem. Trata-se de um espetáculo de teatro municipal infantil itinerante, cujo roteiro versa sobre a importância da separação, da coleta seletiva e da reciclagem do lixo domiciliar.
O projeto foi totalmente viabilizado pela legislação de incentivos à cultura (Lei Rouanet), com o patrocínio da Tetra Pak e o apoio local da Coopercentral Aurora Alimentos e da Prefeitura de Chapecó. Por isso, a iniciativa não tem custo algum para o Município, os educandários ou para os alunos participantes.
Integram o projeto os atores Luana Carvalho (Aninha), André Primão (Seu Jairo), Fernando Cortegipe (José), Diogo Boaventura (Pedrinho), Neusinha Pereira (D. Laura), Diomar Brandão (cooperado) e o cenotécnico Sérgio Mota.
MARCOS A. BEDIN
Registro de jornalista profissional MTE SC-00085-JP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here