Início Biodiversidade Tráfico de papagaios aumenta com a proximidade do Natal

Tráfico de papagaios aumenta com a proximidade do Natal

120
0
COMPARTILHAR
De acordo com o Ibama, as aves correspondem a 80% dos animais apreendidos pelo IAP. Créditos: Zig Koch

Programa Papagaios do Brasil, realizado pela SPVS, integra ações para a conservação de seis espécies

Na última semana, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA) publicou a atualização da lista vermelha de espécies de aves ameaçadas de extinção no Paraná, trabalho realizado em conjunto com o Parque das Aves, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a Hori Consultoria Ambiental. A lista avaliou 762 espécies de aves com ocorrência no Estado, sendo que 118 sofrem com algum grau de ameaça, entre elas, o papagaio-de-cara-roxa, que mudou do status “em perigo” para “vulnerável”, e o papagaio-de-peito-roxo considerado agora como “vulnerável”.

De acordo com o Ibama, as aves correspondem a 80% dos animais apreendidos pelo IAP. Esse número costuma crescer com a proximidade das comemorações de fim de ano, quando muitas aves comercializadas ilegalmente são dadas como presente.

Algumas instituições desenvolvem programas que integram ações para a conservação desses animais, combatendo a redução das áreas naturais e o tráfico de aves, principais ameaças às espécies de papagaio. Para unificar esses esforços, o Programa Papagaios do Brasil, realizado pela Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), em parceria com o Parque das Aves, Fundação Neotrópica, Associação Amigos do Meio Ambiente (AMA) e ICMBio/CEMAVE tem como foco a conservação de seis espécies de papagaios: papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva), papagaio-charão (Amazona pretrei), papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea), papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis), papagaio-chauá (Amazona rhodocorytha) e papagaio-moleiro (Amazona farinosa).

“O objetivo do Programa é evitar a retirada de filhotes da natureza, e só conseguiremos fazer isso quando sensibilizarmos as pessoas sobre a importância de mantê-las em seus habitats, porque enquanto existirem compradores, o tráfico não acabará. Por isso, investimos fortemente em atividades de educação para a conservação da natureza”, explica Roberta Boss, técnica do Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa.

Por Fernanda Umlauf

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here