Início Natureza Corredor Ecológico participa de discussão sobre modelos de restauração florestal

Corredor Ecológico participa de discussão sobre modelos de restauração florestal

129
0
COMPARTILHAR

Evento no Sítio dos Ipês, em Cachoeira Paulista, é uma parceria com o Instituto Coruputuba, The Nature Conservancy e Instituto Socioambiental

O Corredor Ecológico Vale do Paraíba realiza nesta sexta-feira (17), a partir das 8h30, um dia de campo para colocar em discussão diferentes modelos de restauração florestal. A atividade acontece no Sítio dos Ipês, em Cachoeira Paulista, em parceria com as entidades Instituto Coruputuba, The Nature Conservancy e Instituto Socioambiental.

Durante o evento, que é aberto ao público e gratuito, integrantes das organizações vão avaliar os custos-benefícios ecológicos e econômicos de quatro diferentes modelos de restauração da vegetação nativa. Entre as alternativas, os participantes vão debater técnicas como a semeadura direta, plantio de mudas e condução da regeneração natural.

Não é por acaso que o evento será realizado na área rural. O Sítio dos Ipês, que conta com consultoria do Corredor Ecológico, é um exemplo de implantação de agrofloresta – e já colhe frutos de uma alternativa sustentável para geração de renda no campo.

Está previsto um café da manhã como recepção, às 8h30, para abrir a programação. O início das discussões é às 9h30 e o encerramento, às 11h30, com um lanche coletivo às 12h. A inscrição é gratuita e a presença pode ser confirmada pelo e-mail marina_campos@tnc.org.

Modelos de restauração florestal
Local: Sítio dos Ipês – Cachoeira Paulista
Horário: 8h30 às 12h
Realização: Corredor Ecológico do Vale do Paraíba, Instituto Coruputuba, Sítio dos Ipês, The Nature Conservancy e Instituto Socioambiental
Valor: Gratuito, mediante inscrição prévia

O Corredor Ecológico
Criado em 2009, o Corredor Ecológico reúne organizações do primeiro, segundo e terceiro setores para propor um diálogo sobre o desenvolvimento social, econômico e cultural do Vale do Rio Paraíba do Sul por meio do planejamento e de intervenções que ampliem a oferta de serviços ecossistêmicos integrados ligados à água e à biodiversidade, com a conscientização da sociedade para o valor do patrimônio ambiental da região. Para isso, o Corredor desenvolveu a metodologia “Linhas de Conectividade”, que visa garantir o desenvolvimento e a perenidade das florestas a partir de um guia de reflorestamento que mapeou todas as áreas que precisam receber plantios, evitando assim que investimentos florestais sejam desperdiçados.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here