Início Natureza Programa do IMA contribui para criação de sistema do Ministério do Meio...

Programa do IMA contribui para criação de sistema do Ministério do Meio Ambiente

261
0
COMPARTILHAR

Presidente e equipe do IMA durante o lançamento do SINIR – Foto: Magna Helena/Abema

Lançado na quarta-feira, 26 de junho, em Brasília, no Ministério do Meio Ambiente, o SINIR – Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos – tem  muito de Santa Catarina, desde a sua concepção.

Durante a cerimônia de lançamento do projeto, autoridades diversas, inclusive o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, enfatizaram que a criação do SINIR utilizou elementos do Sistema de Controle de Movimentação de Resíduos e de Rejeitos (MTR), desenvolvido desde 2016 pelo Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA).

Ao longo dos anos, os significativos resultados tornaram o MTR referência no país ao mapear e monitorar cerca de 10 milhões de toneladas de resíduos produzidos anualmente. O sucesso do programa ultrapassou as fronteiras catarinenses, chamando a atenção para outros estados. O Sistema foi levado a outras unidades da federação por meio de convênios como o Rio de Janeiro, Minas Gerais e Amazonas.

No lançamento do SINIR nesta quarta-feira, 26 de junho, em Brasília, constatou-se a necessidade de difusão do Sistema e adesão ao MTR por parte de todos os estados brasileiros. O presidente do IMA, Valdez Rodrigues Venâncio, colocou o órgão à disposição a cooperar para a disponibilização e expansão do .

“Totalmente desenvolvido pelos técnicos do IMA, por meio do Sistema MTR é possível acompanhar, monitorar e garantir a destinação correta dos resíduos, o que é fundamental para contribuir com um ambiente mais equilibrado e saudável. E expandir esse programa para todo o país é mais que uma honra para o Instituto, mas uma missão”, destacou o presidente do órgão ambiental catarinense.

 

Sistema MTR

Em operação desde 2016, o Sistema MTR monitora resíduos sólidos da área industrial, comercial, de serviço e da área da saúde. Para isso, o prestador de serviço deve gerar um documento que funciona como uma nota fiscal ambiental. Nela, informa o transporte de resíduos, quem está transportando e qual o destino. Por fim, quem recebe dá baixa no sistema, fechando o ciclo. Atualmente, o programa possui mais de 45 mil usuários.

 

Informações adicionais à imprensa:

Claudia Xavier

Assessoria de Imprensa IMA

Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here