Início Sustentabilidade Empresa do interior do Maranhão já instalou cerca de 2 mil painéis...

Empresa do interior do Maranhão já instalou cerca de 2 mil painéis fotovoltaicos

385
0
COMPARTILHAR

Eletroclima Solar apostou na energia solar para se reinventar

Athos posa no telhado azul de paneis fotovoltaicos; ele aguarda decisão da ANEEL para prosseguir o plano de expansão da Eletroclima

“Energia acessível e limpa” é o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 7 da Agenda 2030 da ONU. A empresa Eletroclima Solar do município de Pedreiras (MA) – fica a 283 da capital São Luis –  é considerada uma das pioneiras em energia solar fotovoltaica na Região Nordeste. Desde 2017, está contribuindo para o cumprimento do ODS 7,  informa Athos Rodrigues de Araújo, fundador do empreendimento. Ele fala orgulhoso que a Eletroclima Solar está ajudando empresas, indústrias e residências a reduzirem o custo de energia no Maranhão e Piauí.

A empresa iniciou suas atividades, em 2012, com serviços elétricos e de refrigeração em Pedreiras, localizado na região do Médio Mearim. Há três anos, identificou a oportunidade de inovar as atividades da empresa ao perceber a tendência de crescimento do mercado de energia renovável e limpa e decidiu desbravá-lo. Assim Athos reinventou o empreendimento, que passou a se chamar Eletroclima Solar.

Para levar a tecnologia solar ao estado maranhense, o empresário foi atrás de conhecimento e participou de cursos e treinamentos do Sebrae em São Paulo e Minas Gerais. Depois das capacitações, retornou à Pedreiras e foi buscar clientes em potencial para criar o mercado fotovoltaico no Maranhão.

“Ninguém conhecia ainda a tecnologia solar aqui, então tivemos de fazer trabalho de formiguinha. Como é um produto que tem alto valor agregado foi bem complicado no início, mas as pessoas se conscientizaram e a demanda aumentou”, conta Athos.

Além da questão ambiental, o maior desafio da Eletroclima foi convencer a clientela sobre os benefícios financeiros que o investimento em energia fotovoltaica gera a longo prazo. “Como vivemos na cultura do imediatismo, poucas pessoas estão dispostas a investir para obter retorno no futuro”, explica.

Desde 2017, a Eletroclima já instalou cerca de 2 mil painéis fotovoltaicos nos estados do Maranhão e Piauí. Para realizar este feito, a empresa conta com 25 colaboradores trabalhando exclusivamente com energia solar fotovoltaica, o principal serviço da empresa.

Só na cidade de São Mateus do Maranhão (MA), onde o empreendimento possui clientes expressivos – Supermercado Canadá, Centro Educacional Exitus e Zeus Hotel – estima-se uma geração de 4.300 kwh/mês com 95 painéis. Em Pedreiras, a empresa Eletromóveis e o Hospital Doutor Valter Rodrigues – em construção e será o maior da região – contam com sistemas fotovoltaicos instalados pela Eletroclima Solar.

Até o momento, 10 empresas do interior maranhense investiram em energia solar. No entanto, a maior demanda vem das famílias. Trinta residências estão gerando energia por meio dos sistemas fotovoltaicos da Eletroclima Solar, informa Athos.

Benefícios ambientais e financeiros

O cliente que implanta um sistema de energia solar fotovoltaica não contribui só com o meio ambiente, deixando de emitir gases de efeito estufa, segundo o empresário. Também terá retorno financeiro alto, alerta. “Aquele custo de energia que ele tinha todo mês, vai deixar de pagar para a concessionária. Em cerca de quatro anos, após a instalação do sistema, vai obter retorno do investimento e ficará imune à inflação energética, que é um custo considerável”, argumenta.

Athos elenca ainda como vantagem a diminuição de perdas no sistema, decorrentes do processo de transmissão da energia das hidrelétricas até a distribuição na cidade pela concessionária. “Durante o dia, o sistema gera energia a mais do que é consumido. Então, a energia que você injeta na rede gera benefícios financeiros e também para a população”, ressalta.

Perspectivas

Até abril de 2020, a Eletroclima pretende abrir novas filiais, atendendo todo Maranhão com representantes nas cidades-polo, além de expandir o serviço para outros estados. O empresário conta que, este ano, o faturamento deverá ficar em torno de R$ 3,3 milhões. A meta para 2020 é dobrar este valor.

“Nossa expectativa é muito grande. Neste final de ano, estamos com muito projetos com o Banco do Nordeste. Também temos outras fontes de financiamento, como Santander, Solfascio e Banco do Brasil. Temos um apoio muito forte dos bancos da região”, afirma.

Para colocar os planos de ampliação em prática, a Eletroclima aguarda a revisão da Resolução Normativa 482/2012 da Agência Nacional de Energia Elétria (ANEEL), que pretende mudar as regras e custos da micro e mini geração distribuída.  O setor de energia solar fotovoltaica aguarda esta definição para prosseguir com a expansão desta fonte renovável e limpa no país.

“A energia solar fotovoltaica equivale pouco mais de 1% da matriz energética do Brasil. Do universo de 80 milhões de consumidores, existem 130 mil usuários desta fonte renovável.  Se a proposta da ANEEL for aprovada, o investimento que retornava em quatro anos, vai demorar 10 anos”, lamenta.

Nesses três anos de inovação, a Eletroclima contou com o apoio do Sebrae. Athos conta que realizou duas consultorias pelo Sebraetec para registro de marca e gestão de processos. A empresa também participou de feiras do empreendedorismo no Nordeste e de congresso de startups em Florianópolis (SC) e foi pauta da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.  (www.eletroclimasolar.com.br )

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here