Início Sustentabilidade Sustentabilidade: Conheça a empresa catarinense que utiliza garrafas PET na produção de camisetas...

Sustentabilidade: Conheça a empresa catarinense que utiliza garrafas PET na produção de camisetas e tem na preservação dos oceanos um dos seus principais propósitos 

298
0
COMPARTILHAR

Com sede em Joinville, a Oceano Surfwear produziu, apenas no último ano, mais de 57 mil peças com materiais e processos sustentáveis.

O Oceano é o local de trabalho de pescadores, surfistas e atletas de outras modalidades aquáticas, além de diversão para muitas pessoas. Porém, a Ellen MacArthur Foundation estima que, até 2050, encontraremos mais plástico do que peixes nos Oceanos. A preocupação é tamanha que a Organização das Nações Unidas (ONU)  elegeu os anos entre 2021 e 2030 como a Década dos Oceanos, com objetivo de elevar a consciência das pessoas sobre a extrema importância da conservação e uso sustentável dos oceanos. E foi visando fazer a sua parte para mudar essa triste realidade, além de dar um sentido maior para sua trajetória, que a marca catarinense Oceano Surfwear, de Joinville, criou o projeto KOB – Keep the Ocean Blue.

 E como na próxima segunda-feira (08) é celebrado o Dia Mundial dos Oceanos – a data foi criada durante a Eco-92, no Rio de Janeiro, e oficializada pela ONU, em 2009 – nada melhor do que incentivar o mercado e os consumidores sobre a necessidade imediata de mudar a nossa relação com os Oceanos. “Muito antes do tema sustentabilidade entrar em alta e fazer-se tão necessário, já sentíamos essa necessidade de trazer o cuidado com o meio ambiente, em diversas esferas da nossa rotina, para a marca. Em 1984, lembro de ter visto um anúncio de uma ONG americana que já se preocupava com a preservação do oceano e de lá para cá sempre foi um compromisso presente em todas as pessoas e processos da nossa equipe, além dos atletas patrocinados pela marca”, relembra Affonso Eggert, fundador da Oceano Surfwear. 

 Diante desse valor tão presente na empresa, o projeto Keep the Ocean Blue (KOB) nasceu em 2007 como um agrupador de uma série de atividades voltadas para a preservação e a conscientização ecológica, como mais de 60  mutirões de limpeza de praias, ações educativas em escolas, pelo menos três por ano, e práticas mais sustentáveis na fábrica, com uma uma linha de camisetas produzidas a partir de garrafas PET, além de outros tecidos que minimizam o impacto ambiental como a malha organic de algodão orgânico, a malha cotton desfibrada e a malha infinity, ambas feitas a partir do reaproveitamento de retalhos de malha, e o jeans EKO que também possui fibras recicladas. 

Somente em 2019, a Oceano Surfwear produziu mais de 57 mil unidades da linha de camisetas à base de garrafas PET, o que representa a retirada de 228 mil garrafas PET dos lixos comuns e/ou meio ambiente. Chamada de malha desfibrilada (infinity), o material é resultado das transformações das fibras da garrafa de plástico em fios de poliéster e quando combinada com o algodão resulta nessa malha mais sustentável e utilizada para a produção das camisetas. Ao todo são 40 modelos desenvolvidos com esses materiais.  “Acho que as pessoas estão olhando mais para esse tema, mas ainda é incipiente a presença de peças de vestuário no dia a dia das pessoas. Cada vez mais tenho perguntado: Você tem peças sustentáveis no seu guarda-roupa? É preciso que as pessoas pensem como individualmente podem fazer a diferença na preservação dos oceanos, do meio ambiente”, destaca Eggert. 

 Mutirão de limpeza simbólico

No ano em que completa seus 40 anos de atuação, a Oceano Surfwear tinha planejado uma ampla programação para celebrar o Dia Mundial dos Oceanos (08/06), o que teve de ser adiado em decorrência da pandemia da Covid-19. Mas para marcar a semana do meio ambiente, a Oceano realizou um Mutirão de limpeza simbólico na Boca da Barra, em Barra Velha/SC, com a presença dos surfistas patrocinados pela Oceano: Petterson Thomaz, Matheus Navarro, Luiz Mendes, Hedieferson Junior, além do fotógrafo Marcio David. “Achamos que a situação estaria melhor, pois a população está mais em casa por causa das restrições atuais. Porém, infelizmente recolhemos 104 kg de lixo,  além de garrafas pet produzidas em quatro outros países. Ou seja, que cruzaram os oceanos”, relata Filipe Oliveira da Eco local, responsável pela gestão dos resíduos coletados.

Foto: Marcio David Foto: Marcio David

Foto: Marcio David Foto: Marcio David

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here