Início Biodiversidade Catarinense descobre na reciclagem do vidro a vocação para a arte

Catarinense descobre na reciclagem do vidro a vocação para a arte

1279
0
COMPARTILHAR
Sou Daniela Malfatti, bióloga por formação e vidreira por absoluta paixão!

Porto Alegre (RS) – Daniela Malfatti (53) é “natural de Chapecó (SC). Mas é na Grande Porto Alegre (RS) que há muito tempo está radicada com a família e com a sua arte. Há 17 anos trabalha em atelier criando peças autorais. Em entrevista ao Lages Hoje, explica que o vidro sempre esteve presente na sua vida. A mãe Enólia, em Chapecó, tem um atelier onde trabalha com jato de areia em vidro, e a observação de parte da jovem Daniela, não passou despercebida. Acompanhava de perto o processo de criação como uma ajudante esporádica.

Porém, ao acompanhar o pai numa feira internacional de equipamentos e ferramentas para vidro, vidraçarias, em São Paulo, que Daniela teve o seu primeiro contato com o Fusing*. Vi que o vidro podia ser colorido, modelado… “foi neste momento que descobri o que eu queria fazer para sempre!”, revelou.

Sabendo o que queria exercer profissionalmente, em pouco tempo deixou sua formação, Biologia, para se dedicar integralmente a estudar sobre a técnica Fusing e tudo que ela permite criar. Porém, neste novo desafio, como bióloga introduziu seus conhecimentos na transformação do vidro, em arte. Muitas peças com a formas decorativas de animais e insetos, como peixes e borboletas, por exemplo. Estava também a dedicação da arte como uma forma de reciclar o vidro, contribuindo imensamente para a preservação do meio ambiente.

Com domínio da técnica fusing surgem novas formas

Daniela Malfatti gosta muito de trabalhar com formas orgânicas, sempre pensando na funcionalidade e simplicidade. Tanto que desenvolveu uma linha de linha de utilitários com centros de mesa e pratos, e há 10 anos criou uma linha de Cubas em Vidro para banheiros. Aos poucos foi ampliando o conhecimento, o que a torna uma verdadeira artista profissional. E mais. Gosta de ensinar. Segundo ela, quanto mais gente fazendo arte com vidros, mais reciclagem acontece, mais há aproveitamento de um recurso bastante disponível. Para crianças desenvolve sempre que pode oficinas “pequenos vidreiros”.

Fusing aprimora a construção da arte

Para aprimorar ainda mais a arte da transformação do vidro em artefatos, sempre que podia, participava de exposições individuais para apresentar suas criações, ao lado de outros artistas vidreiros do Brasil. A partir das experiências foi desenvolvendo a própria técnica. “Na maioria das vezes as esculturas são inspiradas na natureza, na minha antiga profissão. São peixes, flores e principalmente insetos que eram o meu foco de estudos”, lembrou.

Inspiração na sustentabilidade valoriza ainda mais o trabalho

O conceito de sustentabilidade também vem de lá, de sua formação.  Daniela explica que aproveita todo o material que sobra das peças para pequenos enfeites. “Nada vai fora! Eu acho o vidro um material único, delicado e resistente! Lindo!”

Lamenta, no entanto, que a reciclagem do vidro apesar de todas as vantagens já comprovadas e aplicadas, ainda é pouco explorada no Brasil. Ainda são necessários investimentos, tanto públicos como privados para o desenvolvimento do mercado de reciclagem, inovação e na pesquisa tecnológica. Com isso, tornaria possível aumentar a viabilidade técnica e econômica das tecnologias existentes, quanto na criação de novas tecnologias. Com isso, permitiria acompanhar e antever o surgimento de novos produtos e tecnologias pelos setores produtivos.

Vidros são transforados também em belas cubas

Seja como for, a bióloga catarinense por formação e que tem arte no seio da família, é uma extraordinária artista e colaboradora na preservação da natureza. Ela entende bem o mal que o vidro causa ao meio ambiente, mas que através da reciclagem transformada em arte, cumpre um papel social relevante, sem precisar dimensionar a quantidade de vidro que recicla, o que não é pouco.

A transformação final é realmente linda, com um acabamento diferenciado de tudo o que é feito no modo tradicional.

*A técnica do fusing (vidro fundido), consiste a sobrepor ainda a frio, várias camadas de vidro umas sobre as outras, e fazê-las fundir, ainda no estado sólido, dentro de um forno a alta temperatura.

Localização do atelier de Daniela compartilha com outras iniciativas

Está junto ao Vila das Flores – uma comunidade criativa que atua em rede e experimenta novas relações e práticas de trabalho e convívio, fomentando atividades culturais, educativas e de inovação social. Está localizado em um complexo arquitetônico de valor histórico e cultural, na Rua São Carlos esquina com a Rua Hoffmann, no bairro Floresta, em Porto Alegre/RS.

Comunidade Vila das Flores em Porto Alegre (RS)

A rede é formada por mais de 40 iniciativas de diversas áreas do conhecimento, somando mais de 100 empreendedores que compartilham de uma visão de mundo colaborativa, humana e sustentável. Atua com base em quatro pilares: Arte e Cultura, Arquitetura e Urbanismo, Educação e Empreendedorismo Social e Criativo.

Juntos, os componentes da rede, a exemplo de Daniela Malfatti, pensam em projetos que visam a sustentabilidade ambiental, social e econômica. Incentivam e promovem a arte e a educação, desenvolvendo ações junto à comunidade do próprio bairro com o propósito de impactar significativamente a forma como vivem a cidade.

Vila Flores – território e memória

A história do conjunto de edificações projetado pelo arquiteto Joseph Lutzenberger na década de 20 no bairro Floresta, em Porto Alegre, que se transformou num centro cultural e educacional e núcleo de práticas criativas e colaborativas, hoje chamado de Vila Flores.

Reciclagem de Vidro: tudo que você precisa saber

Reciclagem de vidro pode ser lucrativa

Não podemos dizer ao certo quando o vidro foi criado, mas sua revelação é atribuída aos fenícios que, casualmente o descobriram há cerca de quatro mil anos, quando faziam as fogueiras na praia. O que se sabe com certeza é que os sírios, fenícios e babilônios já utilizavam o vidro desde 7.000 a.C. E por se tratar de um material muito utilizado desde á antiguidade, você sabia que existe também a reciclagem de vidro? Se ainda não, nesse post iremos te explicar tudo sobre o assunto!

No Brasil, a primeira fábrica foi construída no século XVII, em Pernambuco, por artesãos. Produzindo inicialmente janelas, copos e frascos. Mas foi a partir do século XX, que as fábricas de vidro brasileiras começaram a se automatizar e processar em escala industrial o que então era feito de modo artesanal e individual. Você sabia?

A definição do vidro

O vidro é um material obtido a partir da fusão de matérias-primas, principalmente minerais. Resfriado até uma condição de rigidez, sem se cristalizar. Ele também pode ser considerado um material não poroso, comum e que resiste a temperaturas de até 150°C sem deformar sua estrutura. Por isso pode ser reutilizado várias vezes para a mesma finalidade. Por ter uma estrutura molecular amorfa, a reciclagem de vidro pode ser feita infinitas vezes sem perder a qualidade de origem. Mas para isso, deve ser devidamente separado em três cores, verde, branco e marrom. Neste processo, a coleta seletiva tem uma importância fundamental. Leia nosso artigo e saiba detalhes de como é feito o vidro!

Empresa privada recolhe mais de 300 toneladas de vidro para reciclagem no DF | Foto: Marcella Freitas

Não descarte o vidro em lixo comum!

Os vidros não são biodegradáveis e permanecem na natureza por cerca de dez mil anos. Por isso, o descarte desses materiais em locais inapropriados pode ser muito prejudicial ao meio ambiente.

Dessa maneira, o melhor a se fazer é reciclar os materiais feitos em vidro. Confira algumas vantagens na reciclagem do vidro:

– Diminuição do volume de lixo nos aterros;

– Reaproveitamento do vidro em 100%;

– Para cada tonelada de vidro reciclado, gasta-se menos 70% do que se gastaria para fabricar mais vidro;

– Para cada tonelada de vidro reciclado, economiza-se 1,2 toneladas de matéria-prima.

O que é a reciclagem de vidro?

Entende-se como reciclagem de vidro, o processo industrial de derretimento de resíduos de vidro. Para a fabricação de novos produtos, na maior parte das vezes, embalagens. Vidros reciclados são misturados com matéria-prima nova, e em média as garrafas de vidro são compostas em cerca de 60% de vidro reciclado. Dependendo da cor, esse percentual ainda pode chegar a 90%. Dessa forma, resíduos de vidro são uma importante fonte de matéria-prima para a fabricação de novas embalagens de vidro.

O vidro usado em embalagens é um material totalmente reciclável, por isso quando se fala em reciclagem de vidro, principalmente na indústria vidreira, o assunto sempre teve um grande destaque. E ganhou forças nos últimos anos com grandes investimentos feitos para promover e estimular o retorno da embalagem de vidro como matéria-prima. O vidro pode ser reciclado várias vezes pois é feito de minerais como areia, barrilha, calcário e feldspato. Ao se agregar o caco na etapa de fusão de vidro, diminui-se a retirada de matéria-prima da natureza.

A reciclagem de vidro, além de poupar uma boa parte dos recursos naturais, também consome menor quantidade de energia e emite menos material particulado. Se comparado com a fabricação do vidro sem a incorporação de cacos. Vale ressaltar que, com um quilo de vidro se faz outro quilo de vidro, com perda zero de materiais. Outros aspectos a considerar ao se reciclar o vidro é a menor geração e descarte de resíduos sólidos urbanos, a redução nos custos de coleta urbana e o aumento da vida útil dos aterros sanitários.

Assim como nos demais processos de reciclagem, na reciclagem de vidro o valor do material reciclado tem uma ligação direta com a pureza do mesmo. Por isso, a separação inicial é confiada á coleta seletiva. Na prática, porém, deve-se contar com a mistura dos vidros por parte da população. Sendo assim, a indústria da reciclagem deve contar com um processo de separação eficiente.

A importância da reciclagem de vidro

A reciclagem de vidro é de extrema importância para o meio ambiente. Quando reciclamos o vidro, ou compramos vidro reciclado, estamos contribuindo com o meio ambiente. Esse material deixa de ir para os aterros sanitários ou para a natureza (rios, lagos, solo, matas). Outro fator que não podemos esquecer é que a reciclagem de vidro serve como gerador de renda para milhares de pessoas. Que atuam principalmente em cooperativas de catadores e recicladores de vidro e outros materiais.

Nas mãos de Daniela Malfatti o valor da reciclagem vai além: encanta pela transformação em arte

É importante ressaltar que essas características são únicas do vidro, além das suas vantagens como material, acrescenta-se à elas o benefício da reciclagem. Embalagens de vidro podem ser totalmente reaproveitadas no ciclo produtivo da reciclagem de vidro, sem nenhuma perda material. A reutilização do vidro para a produção de novas embalagens consome menor quantidade de energia, e emite resíduos menos particulados de CO2. Contribuindo assim para preservação do meio ambiente. Fique atento!

A reciclagem de vidro é uma atividade economicamente viável, tornando-se um nicho de mercado inexplorado, com grande potencial de lucratividade.

– Descarte de Lixo – Custo de coleta de lixo + Vida útil dos Aterros + Qualidade de vida = ♥

Tipos de vidros recicláveis

Garrafas de sucos, refrigerantes, cervejas e outros tipos de bebidas;

Potes de alimentos;

Cacos de vidros;

Frascos de remédios;

Frascos de perfumes;

Vidros planos e lisos;

Pára-brisas;

Pratos, tigelas e copos

Sobre a PS Vidrs

Depois de descobrir a importância da reciclagem de vidro, chegou a hora de você fazer a diferença!

Comece a separar o seu vidro para reciclagem. A PS do Vidro faz a coleta do seu vidro quebrado para ser reciclado da maneira mais correta para não prejudicar o meio ambiente. As lojas recebem cacos de todos os tipos de vidro.

Importante: Aquelas esquadrias de mínio, ferro, madeira etc, não são coeltadas. Somente o vidro para o descarte sustentável, afinal, só se faz vidro, se utilizar cacos de vidro na composição.

O vidro é um material 100% reaproveitável. Descubra na sua cidade alguma empresa ou instituição que recolha e faça a reciclagem de vidro. Contate com a sua Prefeitura.

Fonte: PS Vidro

Reportagem: Paulo Chagas

Fotos: Daniela Malfatti